Edifício Investe em Controle de Acesso para Aumentar Segurança

Imagem

Morar em um condomínio é mais seguro que morar em uma casa, mas não significa que você está livre de todos os males que a violência trás.

Por isso, alguns residenciais, pensando em aumentar a qualidade de vida e diminuir problemas com assaltos e roubos investem em tecnologia e controles.

Foi isso que fez o Edifício Residencial Mediterrâneo, Conforme relata o Sr. Carlos Montagnini, síndico do prédio:

“Como o edifício não possui porteiro, era comum o morador entrar no prédio e deixar o portão aberto, ou também, emprestar as chaves para alguma visita que depois não devolvia e tinha acesso livre ao prédio, quando bem entendesse. Os moradores que mudavam do prédio também levavam consigo chaves de portas e controles de portões. Sem contar que muitas cópias de chaves eram feitas e perdidas, deixando o acesso  totalmente livre.”

Para resolver estes problemas a Sistemar Tecnologias foi contratada e instalou um sistema de controle de acesso.

Cada morador recebeu chaveiros e controles que funcionam como chaves, que são únicos e não podem ser clonados. Em cada porta ou portão há um leitor, quando o condômino aproxima o chaveiro do leitor a porta é aberta e já é registrado em um sistema quem entrou ou saiu, em qual porta, data, hora do evento, ficando assim, sob responsabilidade do morador a abertura e fechamento daquela porta naquele horário.

Imagem

 

Caso o morador necessite de um segundo chaveiro/controle, é preciso fazer um cadastro e tem-se o controle exato a quem pertence o mesmo.

Imagem

Caso o chaveiro/controle seja perdido é só retirá-lo do cadastro e ele não irá mais funcionar. A responsabilidade de avisar o síndico da perda também fica com o morador.

“Com isso, criou-se um hábito de todos abrirem e fecharem as portas e se reduziu para quase zero os problemas que tínhamos anteriormente”, fala Montagnini.

Anúncios

Treinamento Axis

Equipe comercial da Sistemar Tecnologias recebendo treinamento sobre os produtos Axis e Aimetis.

“Com mais essa certificação podemos fazer projetos sem depender exclusivamente da área técnica, isso trás muita agilidade e confiança para o cliente”. Anderson Cezar Stefani – Diretor Comercial

“Nada melhor do que ser um Consultor com conhecimentos técnicos, pois dá a certeza ao cliente de estar fazendo uma excelente aquisição e também de contar com um pós venda eficiente”. Fellipe Gabriel Cecconi – Consultor Comercial.

Axis lança câmera que se aproxima do ângulo de visão humana

Axis

Equipamento com alta capacidade de processamento possui lente com abertura de 134 graus e gera imagens em HD

 

 

A Axis Communications lançou uma câmera fixa de 3 megapixel com ângulo de visão de 134 graus e qualidade de imagem HDTV 1080p. Essa abertura se aproxima do ângulo de visão humana – que é de 180 graus e, considerando-se o que é visto simultaneamente pelos olhos, é de 120 graus. A tecnologia permite, em alguns casos, instalar uma única câmera para monitorar todo o ambiente.

Com sua visão em grande angular, a mini dome AXIS M3006-V atende às necessidades de videomonitoramento em mercados sensíveis a custo, como varejo, hotéis, instituições de ensino e escritórios. A novidade pode reduzir drasticamente o número de câmeras num projeto de videomonitoramento ou mesmo dispensar a necessidade de mais de uma câmera, dependendo do espaço e das necessidades do cliente.

Quando instalada numa parede próxima ao canto de uma loja, por exemplo, a AXIS M3006-V oferece uma cobertura completa, abrangendo inclusive as prateleiras localizadas nas laterais do campo de visão da câmera.  Além disso, a câmera é entregue já com o foco ajustado, o que reduz o tempo de instalação.

“A AXIS M3006-V combina performance e facilidade de instalação a um custo acessível, para se tornar uma oferta atraente para diferentes segmentos do mercado”, afirma Alexandre Mori, gerente de vendas da Axis para a América do Sul. “A câmera oferece uma cobertura ampla com imagens de 3 megapixel. Isso significa uma imagem HDTV 1080p que mostra detalhes surpreendentes e movimentos com clareza. A câmera tem uma capacidade considerável para aplicações de vídeo inteligente, suporte para software de gerenciamento de vídeo, e permite uma instalação rápida em paredes ou tetos a um custo acessível”.

Informações Técnicas
A AXIS M3006-V suporta a função pan/tilt/zoom digital, que pode ser usada como “lente varifocal digital” para permitir o ajuste remoto do ângulo de visão após a instalação física. O PTZ digital da câmera, junto com o suporte para streaming multi-visualização, permite recortar diferentes áreas de uma cena a partir da visão geral e fazer o streaming simultâneo desses vídeos recortados para fins de visualização ou gravação. Na prática, essa opção simula diversas câmeras virtuais que podem ajudar a minimizar a necessidade de armazenamento e largura de banda. Também é possível enviar, simultaneamente, streams múltiplos em H.264 e Motion JPEG.

A câmera possui um cabo de rede de 2 metros anexado e suporta Power over Ethernet (IEEE 802.3af), o que elimina a necessidade de cabos de energia e reduz custos de instalação.
 
A AXIS M3006-V oferece um suporte substancial para a instalação de aplicações de vídeo inteligente através do AXIS Camera Application Platform. O slot de cartão microSDHC embutido permite armazenar localmente, no cartão de memória, diversos dias de gravação. Quando o armazenamento local é usado junto com o AXIS Camera Companion, que é gratuito, os usuários podem aproveitar uma maneira fácil de visualizar e gerenciar remotamente vídeos de até 16 câmeras por instalação.
 
A AXIS M3006-V possui o suporte do software de gerenciamento de vídeo AXIS Camera Station, bem como a mais ampla base de software de aplicação de toda a indústria através do programa Application Development Partner.  A câmera suporta o ONVIF para uma fácil integração do sistema.

 

A Sistemar Tecnologias é Parceiro Autorizado Axis. Entre em contato para maiores detalhes.

44-3026-7597

Fonte: Revista IP – http://www.revistaip.com.br/article.php?a=1472

CERTIFICAR É GARANTIR O DESEMPENHO DA SUA REDE

Você sabia que 80% dos problemas que ocorrem nas redes são por causa de problemas com o cabeamento?

E que grande parte destes problemas são oriundos de instalações feitas fora das normas e por pessoas não certificadas?

Algumas situações como fios descascados, ou não entrelaçados e cabos corrompidos pode não ser percebidos de imediato, mas que ao longo do tempo, prejudicam o desempenho de equipamentos, internet e consequentemente, o trabalho e resultado das empresas.

Sendo assim, a Sistemar Tecnologias certifica a sua rede nas categorias  CAT5e, CAT6, CAT6A de acordo com as normas  EIA/TIA.

Nossos equipamentos de certificação possuem softwares atualizados e são calibrados periodicamente, isso garante uma aferição 100% segura.

A certificação disponibiliza um relatório com dezenas de informações úteis para um técnico especializado analisar e diagnosticar como está o funcionamento dos cabos. E possibilita ao usuário leigo, saber que, a rede de sua empresa não terá problemas com lentidão e travamento por causa do cabeamento.

Resíduo Eletrônico

Sabemos que o lixo eletrônico é um grande problema para nosso Planeta. Todos os dias milhares de toneladas de equipamentos obsoletos são jogados no meio ambiente.

Somos apenas um grão de areia nesta praia imensa, mas, estamos fazendo nossa parte.

Destinação Correta do Resíduo Eletrônico

Treinamento Intel

No dia 16 de junho os técnicos da Sistemar se reuniram para receber treinamento sobre a nova linha de processadores Intel.

Os responsáveis por mostrar essa nova tecnologia foram os colaboradores Fellipe Cecconi e Jhony Yano, que na semana anterior fizeram o curso ministrado pelo Gerente de Produtos da Intel no Brasil.

Segundo Cecconi “neste treinamento tivemos a oportunidade de conhecer a 3ª família CORE da INTEL e são muitas as diferenças para a família anterior, começando pelo nome, que mudou de  SANDY BRIDGE para IVY BRIGDE.

Uma das características da familia Ivy Bridge é a arquitetura 22nm, a primeira a chegar no mercado.

Outra diferença significante, está na capacidade gráfica com a tecnologia  TRI-GATE (transistores 3D), esta, gera uma maior computação gráfica, em alguns casos com ganho de até 50% e com menor consumo de energia.

Esta nova geração de processadores inclui características de segurança como o INTEL SECURE KEY e INTEL OS GUARD que servem para proteger dados pessoais.

Outra característica é a tecnologia V-PRO, que proporciona uma maior proteção e vários recursos a um suporte remoto.”

A terceirização da tecnologia da informação

No mundo de hoje, em que o conhecimento necessário para a prestação de serviços está cada vez mais especializado e profundo, torna-se freqüentemente muito oneroso para uma empresa manter internamente algumas funções que são intensivasem conhecimento. Essanão é uma percepção recente, o que tem levado empresas à terceirização de atividades, como as de contabilidade, de marketing e jurídicas. Mas as perguntas que são feitas agora são: por que não terceirizar, também, as funções de tecnologia da informação (TI)? Quais seriam as vantagens disso? Quais os cuidados necessários para que riscos potenciais sejam evitados ao serem terceirizados os serviços de TI?

Notamos, em primeiro lugar, que a terceirizada está naturalmente orientada a prestar seu serviço da melhor maneira possível, tanto em qualidade como em preço, já que ela também tem concorrentes.

Em segundo lugar, vemos que a terceirização possibilita, à empresa que terceiriza, o uso mais eficiente de um recurso de alta especialidade, voltando seus esforços para seu negócio principal (core business). Adicionalmente, é reconhecido que profissionais de TI acabam ficando ultrapassados e ociosos em empresas cujo foco principal não é o de TI.

Em terceiro lugar, a terceirizada normalmente investe mais e melhor na atualização do conhecimento do especialista, e a importância disso é hoje mais verdadeira do que nunca, em razão da rápida e continuada evolução da tecnologia e do conhecimento.

Com certeza existem outras vantagens, mas entendemos que essas são as principais, e mais do que suficientes, para motivarem as empresas que necessitam de serviços de tecnologia da informação, como instrumento de trabalho, a terceirizarem essas funções para empresas especializadas.

É preciso haver uma consciência por parte dos implementadores do processo de terceirização, que devem se concentrar nos negócios do cliente, e não somente em tecnologias aplicadas, trazendo assim o verdadeiro valor da terceirização, que é a execução dos trabalhos nos prazos e padrões de qualidade estabelecidos entre as partes, sem perder o foco na organização onde está sendo executada.

Acrescente-se, a tudo isso, que a terceirização já não exige mais 100% de atuação presencial, principalmente nas atividades de TI. Existem hoje ferramentas avançadas que permitem que um profissional especializado, de fora da empresa, acesse seu servidor e execute com rapidez e segurança os serviços necessários, sob vigilância da equipe interna do cliente.

Luís Mário Luchetta, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação, Software e Internet-Regional Paraná (Assespro-PR)

Fonte: A Notícia – Joinville –